Reportagem do jornal Valor Econômico desta segunda-feira (16/7) informa que a cidade turística de St. Moritz, na Suíça, pretende tornar-se um ponto de referência sobre a reflexão da arte no país.  “Queremos criar uma espécie de retiro, cercar os visitantes de arte e natureza por todos os lados, como vocês fazem em Inhotim”, explica Reiner Opoku, um dos fundadores da Art Master, feira que nesta edição dará destaque à arte brasileira.

Dos 34 artistas que ocuparão a cidade de 24 de agosto a 2 de setembro, nove são brasileiros, entre eles, Adriana Varejão, Beatriz Milhazes e Vik Muniz. O projeto começou depois que o bureau de turismo pediu um evento que movimentasse a cidade durante o verão e não tivesse ligação com os esportes.

Com o especialista em branding Monty Shadow, que faz consultoria para gigantes do luxo como o grupo Richemont, porém, Opoku criou um projeto sofisticado e com entrada franca, baseado em cinco plataformas: exposições nas oito galerias internacionais da cidade, simpósios e palestras, workshops, projetos com patrocinadores (Mercedes-Benz, Cartier, Pirelli, Leica) e o Art Masters Project, em que artistas convidados criam em ambientes inesperados – uma igreja, as margens de um lago, o topo de uma montanha.

A decisão de homenagear o Brasil, admite Opoku, deve-se muito à onipresença dos “brazilian day” em eventos pelo mundo – “da Feira do Livro de Frankfurt ao mês temático da Macy’s, todo mundo hoje tem um” – e à sugestão da amiga brasileira Rita Ficher Rohr, galerista em Basel, e de Sam Keller, empresário entre 2000 e 2007 da Art Basel, maior feira de arte contemporânea do mundo.

Para ler a matéria completa, clique aqui.

*Com informações do jornal Valor Econômico


editor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *