A Comissão de Educação da Prefeitura de SP realizou, junto ao Secretário Nacional do Audiovisual, Bruno Graça Melo Côrtes, uma visita técnica à Cinemateca Brasileira na última quarta-feira (30).

O grupo composto pelos vereadores Eliseu Gabriel (PSB), Cris Monteiro (Novo), Celso Giannazi (PSOL), Eduardo Suplicy (PT), Eli Corrêa (DEM), Sandra Santana (PSDB), Sonaira Fernandes (REPUBLICANOS) e o Deputado Estadual Carlos Giannazi (PSOL) divulgou o seguinte relato sobre a visita:

“O grupo foi recebido por Bruno Graça Melo Côrtes [Secretário Nacional do Audiovisual], que falou da recente trajetória da Cinemateca Brasileira (CB) após a suspensão do contrato entre Acerp e Ministério da Educação (MEC) em dezembro de 2019 (a gestão da CB era gerido por um aditivo ao contrato).

Côrtes apresentou Hélio Ferraz [Secretário Adjunto da Secretaria Especial de Cultura], que passou a conduzir a visita, acompanhado por Jéssyca Hellen Paulino Ferreira, coordenadora da CB (que fica em Brasília e viaja a São Paulo com frequência, segundo Ferraz).

Solicitaram que os celulares ficassem na portaria, o que foi questionado pelo vereador Celso Giannazi, respondido por Ferraz como sendo este o protocolo desde que as chaves foram retomadas em agosto de 2020. Ferraz falou dos esforços para manter a CB, mencionou a dívida de mais de um milhão de reais com a Enel em agosto de 2020, que foi sanada com recursos próprios do Ministério do Turismo (como se Acerp tivesse dado um calote, sendo que esta não recebeu do Ministério).

A fala inicial foi feita no refeitório de funcionários da CB, enquanto se ouvia gritos de protestos de poucos mas muito ruidosos membros da Frente Ampla e SOS Cinemateca junto ao portão. A visita começou pelos prédios do Centro de Documentação e Pesquisa e salas de cinema, sempre acompanhados pelos protestos.

Ferraz e Côrtes enalteceram a CB muitas vezes. Um vereador mencionou que a CB chegou a ser considerada uma das melhores cinematecas do mundo, e Côrtes indicou que voltará a ser.

Indicaram que o Banco de Conteúdos Culturais – BCC não está no ar pois a Acerp teria blindado os dados, e que ainda não conseguiram colocar a plataforma no ar.

Na sala BNDES o grupo foi convidado para assistir ao Os óculos do vovô projetado na tela diretamente do YouTube, por ser o “filme brasileiro mais antigo restaurado pela CB”, segundo Côrtes. Após a breve sessão, o grupo seguiu para a área de acervo pelo jardim (ainda aos sons de gritos).

Ferraz apresentou o Depósito de Nitratos por fora e convidou dois vereadores para conhecer o Depósito de Matrizes, pois o fluxo de pessoas entrando nos depósitos afetaria a temperatura e umidade. Indicaram que o Depósito 1 e Depósito C não seria mostrado pois estes seriam iguais aos demais (o que é incorreto, pois materiais deteriorados estão nestes depósitos). Os vereadores Eliseu Gabriel e Celso Giannazi conheceram o Depósito de Matrizes, enquanto que o restante do grupo esperou na sala da diretoria.

O discurso de Ferraz soou muito consistente e convincente para ouvidos de leigos, mas era uma coleção de pequenos equívocos técnicos. Ferraz promoveu a imagem de que o governo está dando agilidade ao processo (mencionando o tempo recorde da elaboração do estudo de publicização do edital da OS, por exemplo). O aspecto geral da CB está muito bom, o que causou uma ótima impressão nos presentes, que parabenizaram Ferraz ao final da visita.

O teto de vidro entre os blocos da CDP e salas de cinema está sujo, bem como a tela externa (que podem ter manchas em decorrência da falta de manutenção).

Servidores alocados na CB acompanharam a visita (Fabíola e Cícero dentre eles). Funcionários da limpeza estavam cuidando do jardim durante a visita. Seguranças e bombeiros acompanharam o grupo.”


editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *